quinta-feira, junho 22, 2006

ESTREIA DA SEMANA: "A CASA DA LOUCURA"

Depois do interessante "Young Adam", o escocês David Mackenzie regressa com "A Casa da Loucura" (Asylum) e foca, mais uma vez, uma teia de relações obsessivas e esquizofrénicas, interligando o amor e a morte.
Esta história da esposa de um psiquiatra e do seu caso com um dos doentes deste, decorrida na Inglaterra dos anos 50, baseia-se no (apenas curioso) romance homónimo de Patrick McGrath, o mesmo autor de "Spider", adaptado para cinema por David Cronenberg. O elenco inclui dois dos melhores actores britânicos de hoje, Natasha Richardson e Ian McKellen.

Outras estreias:

"Klimt", de Raoul Ruiz
"O Rei", de James Marsh
"Para Sempre", de Alessandro Di Robilant
"Samaritana", de Kim Ki-duk
"Sem Destino", de Lajos Koltai
"Tideland - O Mundo ao Contrário", de Terry Gilliam
"Velocidade Furiosa - Ligação Tóquio", de Justin Lin

7 comentários:

Mário Lopes disse...

Impressionante: 8 estreias no mesmo dia e nenhum filme de jeito :| lol!

Abraço

180min disse...

- o 'rei' é um bom filme, angustiante e exageramente silencioso na sua acção. que se torna coerente com o que transmite. acho que vale a pena ver.

- o 'samaritana' é kim ki duk e isso é suficiente.

- ja li a obra de Imre Kertész, daí que só espero um bom filme de 'fateless'

gonn1000 disse...

Mário Lopes: Foi difícil destacar uma, nenhuma me entusiasma especialmente. Abraço

180min: Tenciono ver esses três, mas nem sei porque é que ainda insisto no Kim Ki-duk :P

180min disse...

insiste. insiste :-)

gonn1000 disse...

LOL Pois, já vi que gostaste muito de "Samaritana", mas espero que seja melhor do que os que vi dele.

H. disse...

esta semana é daquelas em que vão haver sessões duplas!
quero ver todos excepto o fast and the furious, mas darei prioridade ao kim ki-duk. é pena que o do gilliam e o «o rei» estejam só num cinema, e ainda por cima onde ñ aceitam king kard, mas pode acho que vou dar apostar neles e dar uns euritos...

gonn1000 disse...

Sim, se "despachar" alguns que tenho em atraso ainda sou capaz de ir ver "O Rei", mesmo que não aceitem King Kard no cinema onde está. O do Terry Gilliam é que vou mesmo deixar passar.