terça-feira, abril 10, 2007

BAD GIRLS

O projecto chama-se Bunny Rabbit mas inclui, para além da vocalista que dá o nome ao duo, a sua companheira Black Cracker, produtora que já colaborou com as Cocorosie e que assume aqui também a função de MC. "Lovers and Crypts", o disco de estreia da dupla, é uma estranha proposta centrada nas suas experiências - reais ou imaginárias, por vezes é difícil dizer - pelas ruas de Brooklyn, bairro onde residem e de onde partem para desenhar um retrato de relações de amor e ódio num contexto urbano e agressivo.

A voz de criança endiabrada de Bunny Rabbit suscita comparações com o registo de Kelli Ali, ex-vocalista dos Sneaker Pimps, ou mesmo de Alison Shaw, dos Cranes, injectando uma falsa doçura nas canções que a espaços se tornam claustrofóbicas pelo negrume que congregam. Transpirando sexo, violência, pânico, revolta e provocação, "Lovers and Crypts" é um concentrado de atitude e irreverência, expostas de forma por vezes inconsequente mas com uma energia que incita audições repetidas.

Maioritariamente composto por uma fusão entre hip-hop e electro, ainda que não seja alheio a contaminações grime, trip-hop, funk ou mesmo industriais, o disco evoca cenários de ruas sinuosas e obscuras dominadas por figuras também pouco convidativas. A sujidade e textura lo-fi dos beats, bem como o discurso sexualizado, aproximam-se dos domínios de Peaches; a carga crua da voz e das rimas de Black Craker remetem para a aspereza de uma Missy Elliot e o cruzamento de referências díspares que aliam kistch a sofisticação sempre com uma pulsão rítmica contagiante sugerem que a dupla andou a ouvir "Arular", de M.I.A..

Contudo, o facto de ter parentes próximos não implica que "Lovers and Crypts" não possua méritos próprios, e há vários exemplos que o comprovam: "Saddle Up" abre o álbum com uma cadência tão repetitiva quanto dançável, "Rio Grande" surpreende pelas inesperadas guitarras em ebulição no final, "Lucky Bunny Foot" é um obsessivo statement que deixa evidente a presença da dupla, "Dirty Dirt" surge como uma desconcertante canção de amor/ódio e a faixa-título, o primeiro single, demonstra bem aquilo que o disco tem para oferecer ao ser simultaneamente imediata e sinistra.

Vincado por mais momentos convincentes do que desapontantes, o disco nem sempre é, mesmo assim, fácil de digerir, já que "Dolphins" consegue ser bastante irritante tanto pela melodia como pela letra e "St Guillen" fecha o álbum com uma aura tão sorumbática que pode ser difícil de suportar. A recorrência a tantas f-words e aparentados também é, no mínimo, questionável, ou pelo menos gratuita.
A dupla ainda deixa, então, algumas dúvidas ocasionais, mas tendo gerado um primeiro registo com tantos momentos envolventes seria injusto não conceder, pelo menos, o voto de confiança e incluir Bunny Rabbit entre as boas revelações de 2007.


E O VEREDICTO É:
3/5 - BOM



Bunny Rabbit - "Lovers and Crypts"

6 comentários:

_Loot_ disse...

Não conheço mas já que falaste na outra banda, Sneaker Pimps com ela ou com ele?

gonn1000 disse...

Lembra-me mais a fase com ela, e também os seus dois discos a solo.

_Loot_ disse...

Expliquei-me mal :P, queria perguntar a tua opinião sobre sneaker pimps, se gostas mais da fase com ela ou com ele.

gonn1000 disse...

Ah... Não sei, acho que gosto igualmente dos três discos que editaram. Mas os discos a solo dela são melhores do que os dele.

_Loot_ disse...

Nem sabia que ele tinha discos a solo, nem tenho os dela, ver se arranjo.
também gosto dos 3 álbuns, mas em termos de voz gosto bastante da dele.
Quanto ao ideal até diria um álbum com os dois o 3º já tem algumas conções com voz masculina e feminina e gostei.

gonn1000 disse...

Têm ambos dois álbuns a solo, ele assina como I AM X (a continuação natural do "Bloodsport") ela como Kelly Ali. Se tiveres conta no Last.fm podes ouvi-los na íntegra por lá.
Entretanto julgo que os Sneaker Pimps não devem fazer mais discos, acho que acabaram.