terça-feira, maio 30, 2006

SELECÇÃO DE ESPERANÇAS

Enquanto a brasileira Pitty concentrava atenções no Palco Mundo, os britânicos Kill the Young apresentavam, dia 27 no Hot Stage, o melhor concerto que ninguém viu do Rock in Rio, através de um cruzamento entre brit pop e indie rock bastante decente, com algumas boas canções.
O jovem trio de Manchester editou no ano passado o disco de estreia homónimo e, embora não pareça ter ainda uma personalidade muito vincada (assemelha-se a uma fusão de The Vines e JJ72), merece alguma atenção, como o comprova o single "Origin of Illness".


Kill the Young - "Origin of Ilness"

15 comentários:

Francisco Mendes disse...

Espera aí... o pessoal do RIR preferiu ver Pitty?

Minha nossa... que festival mais alarmante... ainda bem que não fui, nem vou... ainda ficava contagiado... livra!

gonn1000 disse...

Hum, pois, a maioria sim, já que o concerto dos Kill the Young estava pouco concorrido :S

André Batista disse...

excelente som! as bandas que eu fico a conhecer com o gonn :P

Mário Lopes disse...

Com o Gonn é só "Cool 2 Ra" :P!

Abraços

gonn1000 disse...

André: Eheh ainda bem :)

Mário: Bem visto, bem visto :)

My_Little_Bedroom disse...

Por acaso já ouvi falar destes tipos na Internet e na BBC Radio 1 durante a semana e achei-lhes muita piada. Concerteza serão das melhroes cosias deste Rock in Rio, onde no Palco Mundo, só temos de relevante os Kasabian e de mais ou menos aceitável os Red Hot Chili Peppers, os Da Weasel e os Orishas (gosto da parte menos "Morangos com Açúcar" dese disco...). Depois no Hot Stage, tivemos os Elected e os Living Things, para além das baos bandas portuguesas que deviam estar em vez do Rui Veloso e de outros num festival que se chama Rock In Rio, não Merda em Rio.

gonn1000 disse...

LOL Sim, e na tenda electrónica Zig Zag Warriors, DJ Kitten e sobretudo os Soulwax/2 Many DJs. E Jamiroquai no Palco Mundo, embora o concerto não tenha sido nada de especial.

My_Little_Bedroom disse...

Não sabia do Kitten, esqueci-me dos Zig Zag Warriors e Groove Armada, e os Soulwax/2 Many DJ's são sempre fantásticos...

(vendo o concerto dos Red Hot Chili Peppers: bastante competente, muito bom mesmo, embora nem sempre a música me encante profundamente. São as saudades dos Arcade Fire em Paredes de Coura...)

gonn1000 disse...

Gostei desses todos, enfim dos Groove Armada não muito, mas não estiveram mal.
E sim, os Red Hot foram de um profissionalismo inatacável, infelizmente não pude ver o concerto todo porque a meio começou o dos Soulwax, que foi bom mas esperava mais.

Anónimo disse...

A parte mais gira é que está implícito no teu comentário que os Vines têm personalidade. Nunca li nada tão idiota na vida.

gonn1000 disse...

Quem não parece ter qualquer personalidade és tu, que nem assinas o que escreves. E porquê perder tempo aqui quando poderias estar a ouvir os teus disquinhos de hip-hop, R&B e afins?

Spaceboy disse...

Ouvir hip hop e r&b é mau sinal? Só porque o gajo não tem coragem de assinar o que diz e critica, não quer dizer que oiça hip hop e r&b, e se o ouvir e de qualidade, então ainda bem. Olha lá o preconceito...

gonn1000 disse...

Não são géneros que aprecie muito, mas também não pretendo generalizar (embora me irrite um pouco grande parte do hip-hop - facção descartável - que se tornou na moda do momento). Enfim, a minha resposta baseou-se mais numa suspeita quanto à identidade da pessoa (?) em questão.

O Puto disse...

Concordo com o Spaceboy. Puro preconceito. Estes Kill The Young tb podiam muito bem ser vítimas de preconceito, uma vez que praticam um neó-pós-punk-mais-do-mesmo, não se destacando dos demais.

gonn1000 disse...

Mas eu próprio disse que eles ainda não têm uma personalidade muito vincada... E tudo pode ser vítima de preconceito, mediante os gostos. Os meus não incluem grande parte do hip-hop, mas há excepções, e de qualquer forma esse comentário teve mesmo só a ver com o anónimo.